HISTÓRIA DA CIDADE


Os primeiros sinais de povoação da localidade chamada Mundo Novo ocorreram em meados do século XVII. Caetano de Barros e Domingos Lopes Barbalho foram os primeiros proprietários de terras nas proximidades do Riacho do Mundo Novo.

A região que vivia da agricultura teve desenvolvimento lento. Gradativamente, surgiram sinais de crescimento no pequeno povoado, segundo o historiador Anfilóquio Câmara, até que formasse realmente um povoado. Mesmo de maneira gradual, Mundo Novo, na época, apresentava razoável movimento econômico e social, resultado das atividades agrícolas desenvolvidas.

Pela Lei nº 2.784, Mundo Novo desmembrou-se de São Miguel no dia 10 de maio de 1962, tornou-se município e passou a chamar-se Doutor Severiano em homenagem a Francisco Severiano de Figueiredo Sobrinho, um caicoense que batalhou pelo desenvolvimento da região. Na vida pública, Doutor Severiano atuou como Juiz Municipal de São Miguel, como Deputado nos anos de 1935 e 1948, Consultor Jurídico da Prefeitura.

O município em foco tem no seu território, 108,28 km² de extensão, totalmente inserido no Estado do Rio Grande do Norte, sendo seu limite estadual com o Ceará. A sede do município tem uma altitude de 370m e coordenadas 06º05’38’’ de latitude sul e 38º22’30’’ de longitude oeste. De acordo com a classificação do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) o município faz parte da Mesorregião Alto Oeste do Estado, mais precisamente na Microrregião da Serra de São Miguel e a 446 km da capital do Estado, Natal. O acesso municipal se dá, a partir da capital do Estado, Natal, através das Rodovias pavimentadas BR-304, BR-405 e RN-177, já para a zona rural o acesso se dá através de vias rurais parcialmente pavimentadas. Em termos de população o município conta com 6.492 habitantes, sendo 3.709 na zona rural distribuídos em 32 comunidades e 2.783 na zona urbana (IBGE-2010).

Oficialmente o município apresenta altitude de 200 a 550 metros. Seu relevo faz parte do planalto da Borborema, que são terrenos antigos formados pelas rochas Pré-cambrianas, onde se encontram as serras e picos mais altos. Em sua estrutura apresenta características de um relevo apalachiano.

No que se faz referência aos aspectos geológicos, o município encontra-se sobre o Complexo Granítico Proterozóico, compreendendo a Suíte São Miguel, onde são encontradas rochas denominadas Dioritos Dr. Severiano, Gabros Riacho de Santana e Pluton Poço Dantas, consistind de 15-20 % do magmatismo do arco magmático neoproterozóico (Magini & Hackspaker (2005). Observa-se a predominância de rochas com minerais graníticos do tipo Biotita (variedade de mica de coloração negra), Bauxita (hidrato de alumínio de coloração clara ou avermelhada em função da porcentagem do óxido de ferro que por acaso possua). Apresenta também rochas metamórficas, sendo uma de suas características a presença do mineral feldspato.

Na região o clima é tropical quente, úmido e sub-úmido. Com períodos chuvosos que variam entre os meses de janeiro a junho, com umidade relativa média anual de 66% e tendo aproximadamente 2700 horas de insolação.

A educação do município é regida através das legislações que orientam todos os níveis de ensino, Lei de Diretrizes e Bases da Educação – LDB, nº 9394/96 e as normas básicas do Conselho Nacional de Educação. No que se refere a oferta de ensino, o número de escolas é satisfatório para atender a demanda de matrículas, com possibilidade para receber mais alunos.

A agricultura é atividade econômica que se destaca, principalmente, na produção de feijão, milho, arroz, batata-doce e mandioca. A pecuária, embora com menos potencial que a agricultura, aparece também como importante fonte de renda no município, aí se destacando a criação de bovinos, caprinos e suínos. Outras atividades são a fruticultura, em especial, o cultivo de laranja, manga e banana, e a apicultura com a produção de mel de abelha. No setor terciário aparece o comércio de alimentos no varejo, além de roupas, calçados, eletroeletrônicos entre outros. Serviços de Banco Postal, Bradesco, correios, Caixa Econômica Federal (caixa aqui) e lotérica.

Na parte cultural destacam-se festividades como: a comemoração da emancipação política (10 de maio), bem como à sua có-padroeira Nsª. Senhora do Carmo (16 de Julho) e padroeira Santa Luzia (13 de dezembro). As festividades juninas e as comemorações natalinas são outro destaque na cidade.

A principal forma de lazer são as atividades esportivas, futebol de campo e o futsal aparecem como as modalidades esportivas mais praticadas pelas crianças e jovens das escolas e em toda a sociedade severianenses. Os banhos e pescarias em rios, barragens, açudes e cachoeiras, no período das chuvas são outro atrativo no município que é conhecido por sua hospitalidade, garra e criatividade na busca do desenvolvimento da população. Prova disso, por exemplo, está na conquista de quatro certificações do Selo Unicef edições: 2006, 2008, 2009-2012 e 2013-2016.

 

Bibliografia

MORAIS, M. C. C. Terras Potiguares. Edição comemorativa. Editora Foco. Natal, 2007.

GUERRA, A.J.T.; REGIS, W.D.E.; ALMEIDA, N.O.; MOURA, J.R.S.; LIMA, I.M.F. Contribuição ao estudo da erosão de solos agrícolas no Brasil. Boletim Geográfico. Rio de Janeiro, v.36, n.258-259, jul./dez. 1978.

MAGINI, C.; HACKSPACKER, P.C. Evolução metamórfica de arcos magmáticos neoproterozóicos: região NE da Província Borborema. Revista de Geologia. Fortaleza, v.18, n.2, p.187-202, 2005.

MENDES, B.V. Biodiversidade e desenvolvimento sustentável do Semiárido. Fortaleza: Semace,1997

http://www.rn.gov.br/secretarias/idema/perfil_municipio.asp acesso em 15 de maio de 2008